Almoço de Páscoa: Bacalhau ou Pirarucu?

A cultura alimentar paraense tem suas peculiaridades e isso não é novidade para ninguém. Seja no dia a dia ou em datas especiais, nossos ingredientes são colocados na mesa sempre em tom diferente e exótico.

 

A Páscoa está chegando e logo imaginamos na ceia um delicioso bacalhau regado de azeite extra virgem, batatas generosas e azeitonas pretas, não é mesmo?

 

No entanto, a Páscoa paraense tem um Bacalhau regional, o nosso Pirarucu salgado, quase sempre vindo da região oeste do Pará. O Pirarucu é um peixe de escama e que chama atenção pelo porte e peso avantajado. Sua comercialização é feita em fardos e mantas que podem ser frescas ou salgadas.  

Atualmente, o pirarucu faz parte da "elite" dos peixes amazônicos, sendo criado em cativeiros e comercializado em diversos países do mundo. Ele possui muitas versões, mas a sua mais famosa é o "Pirarucu de casaca", Um prato apreciado por quem valoriza pescados com um toque especial e totalmente fora do convencional.

 

Na receita do prato, tem banana da terra frita, farinha de mandioca, ovos cozidos, leite de copo e cheiro verde. Sem dúvida alguma, uma opção bem  para a ceia da Páscoa. 

Acompanhe a receita do Pirarucu de casaca

Ingredientes

1 Kg de pirarucu seco;

4 bananas compridas, em fatias, fritas;

1 Kg de farinha de mandioca, torradas;

2 caixinhas de corintas (passas sem sementes);

250g de ameixas secas, cortadas;

2 a 3 ovos cozidos;

Cebolas, tomates e pimentões cortados;

Salsa e cebolinha;

Azeite e vinagre;

Leite de 1 coco, puro e natural (é melhor); 

1 caixinha de catchup;

Fatias finas goiabada (opcional).

Preparo

Deixe o pirarucu de molho em bastante água, pelo menos por umas 12 horas, trocando-a um mínimo de 3 a 4 vezes. Em seguida, lave o peixe e afervente-o para retirar o possível restante de sal. Asse-o na brasa ou no forno, regando-o com um pouco de azeite. Deixe esfriar e desfie-o em lascas.

Faça uma farofa com a farinha de mandioca, um pouco de azeite e vinagre. Essa farofa não vai ao fogo. Refogue, no azeite, as cebolas, os tomates (sem as sementes), os pimentões e o cheiro verde, tudo cortado miudinho. Estando estes temperos bem refogados, adicione catchup, a gosto. Quanto mais catchup acrescentar, mais vermelhinho ficará o molho. Num recipiente refratário, alterne camadas de farofa, umedecendo-a com colheradas de leite de coco, o peixe, as fatias de bananas e o refogado. Espalhe, finalmente, pedaços de ameixas e passas. Enfeite com os ovos cozidos, as azeitonas e, se quiser, com fatias finas de goiabada. Leve ao forno para aquecer e sirva, a seguir, acompanhado de arroz branco. 

 

Preparando o "pirarucu de casaca" certamente, minha amiga, você mereceria o "Oscar" do Sabor Selvagem da Amazônia. Qualquer um dos outros pratos, valeria um belíssimo anel de brilhantes ou, na menorzinha das hipóteses, um par de beijos estalados nas bochechas. 

 

Digam lá os que tiveram a suprema ventura de saborear tantas delícias.