top of page

Em Mosqueiro, cozinha regional atrai clientes na reabertura das praias

Restaurantes apostam em novos pratos e atendimento para recuperar movimento

Crédito da foto: Arquivo pessoal do restaurante Tropical.

A pandemia do novo coronavírus e as restrições para tentar conter a covid-19 afetaram gravemente restaurantes, bares e lanchonetes brasileiros. Na ilha de Mosqueiro, em Belém do Pará, os restaurantes da praia do Paraíso, pontos turísticos e fontes de economia da comunidade local, amargaram prejuízos com a decretação do fechamento das praias.


Agora, com a reabertura, a determinação é se reinventar para atrair novamente a clientela.

"A partir do dia 20 de março de 2020, nós paramos de trabalhar e ficamos mais ou menos 105 dias parados. Posso dizer que, nos meus sete anos aqui, esse foi o pior período que eu passei", afirmou Warley Albuquerque, dono do Bar e Restaurante Tropical, localizado na praia do Paraíso. Em junho do ano passado, o restaurante voltou apenas como serviço de entrega. Segundo Warley, a recuperação foi rápida, porém até hoje as consequências negativas desses três meses estão presentes.


Warley planeja uma nova reestruturação no estabelecimento para aprimorar o espaço e poder atender melhor o público. De acordo com ele, novos pratos, mais interessantes e chamativos, também estão sendo pensados e estudados pelos cozinheiros e serão acrescentados no cardápio, com exclusividade. "Essas mudanças são importantes para que toda vez que o cliente chegue tenha uma novidade, uma melhoria. Quem me conhece sabe que eu não paro e estou sempre tentando melhorar", disse.


Para Warley, as expectativas para a reabertura da praia são as melhores possíveis. "Eu acredito que o otimismo tem que estar acima de tudo. A nossa praia é uma família. Nós temos vários restaurantes, um do lado do outro, onde um sobressai mais, um tem um espaço melhor, outro tem o ambiente melhor, outro tem a culinária melhor, outro tem um atendimento melhor, e assim nós vamos moldando o nosso público. É muito gratificante trabalhar na praia, não só pelo dinheiro. Lógico que nós estamos aqui como comércio, visando lucro, mas eu prefiro visar o meu cliente satisfeito", relatou ele.



Crédito da foto: Arquivo pessoal do restaurante Tropical.

Atualmente, os pratos chefes do restaurante são dois: a chapa mista, chamada de "chapão", que, segundo Warley, é uma refeição para todos os gostos, pois tem desde o frango até o camarão empanado; e a caldeirada, que pode ser mista ou paraense, servida no tucupi e com peixes regionais, como filhote e pescada amarela. O Bar e Restaurante Tropical tem também pratos exclusivos, como o camarão ao alho e óleo e a caldeirada de camarão rosa. A cozinheira chefe, que coordena todos os pratos, é Letícia Ferreira dos Reis, esposa de Warley.


"O que eu fiz para o meu restaurante se destacar foi formar uma equipe que trabalha com um sabor diferenciado. Sabor esse que vem de casa, da culinária caseira. É a simplicidade que faz o nosso sucesso. Não adianta a gente tentar requintar e acabar não chegando num resultado bom. O ideal é fazer uma coisa simples e agradável", explicou.


Warley afirma que nenhum trabalho se compara ao dele, pois trabalhar na praia é uma experiência ímpar e relaxante, mesmo com os problemas. "Nós somos agraciados todo dia com uma paisagem maravilhosa, um vento magnífico, então não tem nada que se compare. O restaurante foi o melhor investimento que eu fiz na minha vida, a melhor escolha", assinala.



Por Ana Luiza Imbelloni.

bottom of page