top of page

Pipoca Cor-de-Rosa, alimento acessível presente na rotina dos paraenses

A empresa Pipoca Cor-de-Rosa já passou por diversas mudanças, mas sempre manteve o sabor

Crédito da foto: Arquivo pessoal.


No Pará, é muito difícil encontrar uma pessoa que nunca tenha provado a famosa Pipoca Cor-de-Rosa. Nos supermercados e nas barraquinhas de vendedores de rua, elas também estão sempre presentes. Seja da doce ou da salgada, o quitute faz parte do cotidiano dos paraenses. Saborear as pipocas se tornou uma tradição. 


De acordo com Thais Barbosa, sócia da empresa Pipoca Cor-de-Rosa (@pipocascorderosa), além de fazer sucesso pelo sabor, as pipocas também são um produto barato, mas não separatista. “É popular com pessoas de qualquer idade e qualquer classe social. Nossa popularidade até hoje continua em alta", afirma. 


Crédito da foto: Arquivo pessoal.


A empresa responsável pela criação da pipoca tem 35 anos de história e já passou por quatro gestores. “Os pioneiros aproveitaram a popularidade de um desenho para criar um produto chamativo para crianças, sendo o público alvo da marca. Inicialmente a marca só possuía dois produtos, a pipoca doce e a salgada. Com o passar dos gestores, foi iniciada a produção de salgadinhos derivados de milho. Hoje a fábrica conta com mais de 30 produtos”, informa Thais. 


Segundo Thais, o nome da animação não pode ser usado pela empresa, nem pela própria MGM (estúdio de animações) por conta de outra instituição que tomou esse nome para si. O acordo judicial proíbe que qualquer outra marca leve o nome do desenho. Por isso o nome Pipoca Cor-de-rosa. 


O atual dono da Pipoca Cor-de-Rosa, Adson Barbosa, pai de Thais, era distribuidor das pipocas antes de adquirir a empresa. Ele fez as mudanças mais significativas, expandindo a fábrica e trazendo novos produtos. Mas o que nunca mudou, ele assegura, foi o sabor delicioso das famosas pipocas.

Comments


bottom of page